quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Reprodução de Trajes Históricos: Dicas!

Como devem ter lido no post anterior, fiz um post em parceria com o Picnic Vitoriano SP sobre 7 erros a serem evitados na reprodução de trajes históricos. Assim que finalizamos o post, já fiz outro com as dicas básicas e essenciais pra fazer trajes.
Na verdade, os tópicos não diferem muito do dos "7 pecados", porque fiz meio que "o lado certo dos tópicos abordados" e também porque não tem como fugir óbvio quando se cria roupas de época: silhueta + tecido + acessórios. 
Lembrando que estas postagens foram criadas voltadas à pessoas que gostam de participar de eventos revivalistas - existem vários no Brasil - mas podem ser úteis também pra quem gosta de figurino ou roupas antigas.

Silhueta
É a primeira coisa que você tem que observar na roupa e o que define as épocas.
- Veja de que data é a roupa e pesquise muito sobre a época.
- A roupa precisa ter a forma característica da época e isso muitas vezes é conseguido pela underwear, então as roupas de baixo são tão importantes quanto as roupas de cima.
- Cintura: repare onde é a cintura da silhueta. Um pouco acima, um pouco abaixo... No caso feminino 1804 era logo abaixo dos seios; em 1830 alguns centímetros acima da cintura e em 1860 era exatamente no lugar.
- Como era o busto? Coberto, decotado (em qual formato?), achatado, ultra decorado?
- Ombros e mangas?
- Comprimento da saia? Longas, no tornozelo?
- Formato das calça ou altura delas?
- Meias?
- Babados, bordados? (também representam épocas) 

Moldes: os moldes antigos eram um pouco diferentes dos atuais porque os corpos e silhuetas em voga eram diferentes. Então, o ideal é encontrar um molde da época em que seu traje foi feito para ter como referência. Algumas buscas na internet podem te redirecionar à algumas imagens deles. Se você mesmo não for costurar o traje, repasse a imagem do molde à sua costureira, ela vai interpretar. 

Dicas:
-Note seu tipo de corpo e veja com qual época ele se parece independente de tal época ser sua preferida. Provavelmente você terá mais facilidade em acertar na silhueta do traje já que seu próprio corpo se assemelha à ela.
- Proporção: no caso de reproduções do século XIX, repare no tamanho dos aros da crinolina e do bustle em relação à seu tamanho e figura. A proporção é algo que pode ser legal levar em consideração quando se faz um traje.
- Se você quer criar a ilusão de uma cintura pequena, deve projetar os ombros e quadris no traje.
- Os trajes masculinos a partir da Era Vitoriana são muito parecidos com os trajes sociais atuais, então essa é uma época relativamente fácil de reproduzir.


Corsets
Como escolher o seu modelo de corset?
Compre um modelo da época que você quer reproduzir o traje. Envie uma imagem de seu traje para sua corsetmaker e conversem  sobre o assunto.

Como era o modelo de corset de sua época escolhida? Eram abertos na frente, atrás ou na lateral? Qual é o formato dele e dos corpetes que eram usados por cima? 

Se não tiver interesse em ter um corset de uma época específica, opte por um modelo simples e básico que possa ser usado pra tentar reproduzir várias épocas.

Atenção: em cada época o corset tinha uma função; o Tight Lacing - técnica de diminuição da cintura através de corset - foi praticado durante o século XIX e por poucas mulheres. A cintura da maioria das mulheres da época era em torno de 60cm, um tamanho normal de uma mulher tamanho P. Era a amplitude das saias que dava a impressão de cintura menor.


Tecidos
Pesquise o tecido usado no traje escolhido. Se não houver a informação na imagem de referência, pesquise que tecidos eram usados naquela época. Provavelmente serão tecidos naturais pois não haviam sintéticos. Se não puder  ou não quiser pagar tanto, é possível encontrar tecidos sintéticos similares bem baratos, mas tente escolher aqueles com aparência mais "rica", de melhor qualidade. Por exemplo, se escolheu uma peça que era originalmente de tafetá de seda (seda é tecido natural), escolha um tafetá sintético, mas pesquise as variedades pois existem diversos tipos de tafetás sintéticos e de diversas qualidades. Use a sensatez para escolher o que mais se parece com o traje escolhido.

Acessórios
Seu traje está incrível mas você simplesmente prende o cabelo pra trás. Ou, no caso dos homens, usa seu cabelo "ao natural". Não deixe para planejar os penteados e acessórios na última hora. Penteados, chapéus, barba/bigode, luvas, leque, sombrinha, calçados, brincos, colares e até mesmo a maquiagem também definem épocas.

Dicas:
- Seu cabelo não permite penteados? É muito curto ou tingido em cores fantasia? Opte por perucas.
- Bigodes e barbas falsos são opções para os homens.
- Abaixo uma imagem de diversos tipos de chapéus masculinos do século XIX.




Peças Básicas
Algumas peças básicas que você pode ter para compor um traje histórico:

Mulheres:
1 espartilho - básico e com um corte "neutro" que servirá pra muitas épocas;
2 anáguas (dão volume e evitam que o tecido entre nas pernas);
1 chemise branca (servirá como underwear de várias épocas);
1 bloomer/pantalette (além de volume, protege as pernas do atrito com as armações de saia;
1 meia calça branca (a partir da Era Medieval, as pernas estavam sempre cobertas com meias).

Homens
1 chemise branca (servirá como underwear de várias épocas);
1 camisa branca (poderá ser usada para século XVIII e XIX);
1 colete de alfaiataria (para reproduções do séc. XIX) ou um colete de brocado para século XVIII;
1 calça social (para reproduções do séc. XIX);
1 meia calça (dependendo da cor pode ser usada na era medieval, barroca ou rococó);
1 chapéu.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥