terça-feira, 31 de dezembro de 2013

A Moda Masculina de 1770 a 1789

As roupas masculinas mudaram muito lentamente no século XVIII. França e Inglaterra lideravam tanto na moda masculina quanto na feminina.
Leia também: 
A Moda Masculina de 1700 a 1770
A Moda Feminina de 1700 a 1750
Existe diferença entre a Moda Georgiana e a Moda Rococó?

O perfil masculino afinou durante as últimas décadas. Os brocados extravagantes do começo do século deram lugar a tecidos mais finos em cores lisas ou em listras e os adornos lentamente desapareceram até o fim do século. A casaca ficou mais justa e as pontas da frente se abrem ainda mais. O colarinho é reto, as mangas são abotoadas. 


 A influência da moda campestre inglesa simplificou os trajes masculinos do fim do século XVIII (década de 1770):


O colete terminava em duas pontas de cada lado do abotoamento frontal e aos poucos essa ponta foi encurtando, até que se tornaram retas na cintura. A peça passou a não mais ser abotoada da gola à bainha.

O colete ganha pontas retas na cintura e não mais é abotoado até o pescoço
Podemos ver dois modelos de colete em voga, o antigo, com pontas bem bicudas e o novo modelo com pontas cada vez menores.

Os "exageros" permanecem apenas no traje de corte, composto de casaca, colete e calça em tecidos luxuosos e frequentemente realçados por babados misturados a fios de ouro ou prata, paêtes metálicos e vidros coloridos.
O chapéu à Androsmane cuja terceira ponta é fechada por uma dobra da aba anterior prefigura com sua forma alta e alongada.

chapéu à Androsmane

O Frock Coat.
Com as laterais se afastando da cintura, o casaco se manteve longo nas costas caindo em três partes com duas aberturas. Baseado nas roupas inglesas de montaria este design foi chamado de frock coat ou redingote e influenciou também a moda feminina.
Curiosidade: Nos primeiros anos do século XIX, as aberturas das costas se fecharam e a saia caiu em cauda. Essa foi a origem do fraque, usado até hoje formalmente para casamentos e bailes.

As costas com duas aberturas, futuramente originariam o fraque.

Macaronis
Enquanto os homens abandonavam lentamente os adornos desnecessários influenciados pela moda inglesa, havia um grupo de jovens que, ao contrário, queriam o exagero absoluto. Eles são referidos como Macaronis e apareceram entre as décadas de 1770 e 1780. Eram jovens ingleses que adotaram a alta moda da França e Itália. O estilo deles era espalhafatoso, exagerado, super ornamentado e frívolo. Usavam altíssimas perucas empoadas, pequeninos chapéus tricórnio e ramalhetes de flores. Eram vítimas de muitas piadas e caricaturados de forma agressiva. Escandalizavam pelo fato de serem obcecados pela moda em primeiro lugar. O século XVIII foi o período em que a moda se tornou de gênero e eles estavam destruindo esta regra. Por uma variedade de razões, naquela época, a palavra "Moda" se tornou um assunto de mulher. Ao se envolver com  a alta moda, eles estavam usando a moda como as mulheres usavam, o que foi muito escandaloso.
Leia mais sobre os Macaronis no post: Visuais que chocaram épocas.

Macaroni: Caricarura

De perucas à cabelos reais
No fim do século XVIII, as perucas foram descartadas por muitos homens em favor de um cabelo "selvagem", despenteado. O chapéu tricórnio, que se tornou menor e menos ornamentado desde meados do século, foi abandonado na Europa; no lugar dele foram usadas as primeiras cartolas.

Casaco, colete de barra reta, culotes, meias listradas e um chapéu de copa alta, que originaria as cartolas:


Culotes (breeches) 
Os culotes se tornaram mais ajustados no fim século XVIII.

Nestas fotos da década de 1780, é possível ver como as roupas se simplificaram e a silhueta afinou, inclusive com os culotes ficando bem justos.
 

O traje escocês
Vale a pena abrir um espaço pra falar do "kilt", surgido no século XVIII. 
Documentos antigos mostram que os escoceses usavam uma peça retangular vestida por cima da roupa. Esta peça, com listras entrecruzadas, foi enrolada na cintura e a ponta jogada por cima do ombro, sendo combinada com túnicas, coletes e calças curtas. Era uma roupa aristocrática e a disposição das listras entrecruzadas se tornou o xadrez dos clãs escoceses (uma espécie de brasão). 
Em 1720, o kilt foi registrado pela primeira vez. A peça retangular citada acima (conhecida hoje como great kilt) foi cortada, a parte de baixo enrolada em torno da cintura e presa com um broche e a parte superior se tornou uma echarpe independente. Posteriormente os highlanders adotaram este traje como uniforme militar.

Os primórdios do Kilt, em 1734.

Curiosidade: um alfaiate chamado Dartigalongue anunciava em 1770 que era possível comprar em sua loja roupas todas prontas, de todos os tamanhos. Era a primeira idéia da moderna confecção pret à porter.

Fonte de Pesquisa da autora:
História do Vestuário no Ocidente
The Eighteenth Century
A Roupa e a Moda

2 comentários:

  1. ola boa noite gostaria de saber
    se e possivel encontrar moldes
    das roupas referente as imagens a cima?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ene!
      Tem um livro brasileiro chamado A evolução da Indumentária de Marie Louise Nery. E depois tem o Patterns of Fashion da Janet Arnold e o The Cut of Womens Clothes.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥