domingo, 23 de agosto de 2015

Resenha do livro: Sociologia das Tendências

O blog tem a Editora GG Moda como parceira literária, dentre os títulos que já apresentei aqui temos o História da Indumentária e da Moda que vira e mexe uso como base pra artigos, o Dicionário Ilustrado da Moda, o Quando a Moda é Genial e ainda tenho alguns outros livros a apresentar. Hoje eu vou falar sobre o Sociologia das Tendências do autor Guillaume Erner que é especialista em sociologia do consumo, da moda e das tendências.

É impossível falar de história da Moda sem falar de suas tendências. Na verdade, a profissão de Cool/Trend Hunter é uma das que mais tem se destacado na atualidade. E o que esse livro tenta é explicar as teorias de como as tendências surgem e porque algumas pegam e outras não. Acaba que envolve uma breve análise de épocas como o século XIX onde o amor pela novidade impulsionou a revolução industrial, a sede das pessoas por ineditismo gerava as tendências.  Na década de 1960 com o pret-a-porter, o comércio e não mais os criadores passaram a ditar moda e na década de 1970 a moda foi perdendo seu significado ideológico e se tornando um produto, uma indústria.


"A moda é o que sai de moda" - Coco Chanel


Algumas das questões abordadas no livro são: como indivíduos diferentes uns dos outros e sem comum acordo se descobrem nas mesmas vontades de consumo? Como o individualismo resulta numa obediência às trends?
Esses fenômenos justificam a existência dos estudos de sociologia das tendências que se dedicam a compreender as condições de produção destas modas que tem mecanismos de imitação e difusão dos gostos. 
Termos como febre, hype e mania são exemplificados  assim como a diferença entre tendências funcionais e não funcionais.
A surgimento das tendências através da sociedade de consumo, evoluções tecnológicas e econômicas incita consumidores a renovar seus bens, num ciclo cada vez mais veloz e infindo de busca por novidades.


Os objetos são programados pra virar tendência? Como se propagam os gostos dentro da sociedade?
 
Para responder a estas perguntas, a opinião de diversos sociólogos, antropólogos e estudiosos da Moda são abordadas, desde Michel Maffesoli que dizia que a sociedade é formada por diferentes tribos que se distinguem umas das outras por seus modos de consumo; passando por Roland Barthes e seu famoso texto "As Mitologias"; Jean Baudrillard ("o capitalismo precisa que os individuos sejam consumidores insaciáveis"); Alfred Kroeber e a "nostalgia de uma época feliz"; Robert K. Merton e sua famosa profecia autorrealizável; Max Weber com a teoria da "rotinização do carisma"; Thorstein Veblen e o consumo ostentatório; René Girard e o "nossos desejos são ditados pelos outros"; Pierre Bordieu e a imitação dos gostos das classes dominante; Edmond Goblot (tendencias como objeto de dominação) e o profético Georg Simmel.

Após a abordagem dos teóricos, percebemos o quanto as tendências são contraditórias porque ao mesmo tempo que pregam diferenciação pela novidade, pregam o pertencimento (imitação), assim, a democratização da moda, deixa os indivíduos muito parecidos esteticamente entre si.

O livro finaliza contando sobre se é possível e como, antecipar a próxima trend e a influência dos blogs e cadernos de tendência - que inclusive tem semiólogos, sociólogos e historiadores na equipe de pesquisa.
Outra informação interessante contida, é a participação das lojas de departamento na divulgação das tendências e qual método elas usam pra não apostar na trend errada, identificando os desejos da maioria.

O livro pode ser comprado no próprio site da GG Moda, basta acessar: Sociologia das Tendências de Guillaume Erner.

10 comentários:

  1. Esse livro deve ser realmente interessantíssimo! Com certeza procurarei adquiri-lo. :) Enviei um e-mail com uma proposta de entrevista.

    Beijos,
    Rafaella.

    http://imperioretro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Agradecemos a resenha e o carinho de sempre com a GG Brasil <3

    ResponderExcluir
  3. Sociologia é uma área que eu acho bem interessante. E relacionar esse assunto à moda deve ser ainda mais. Acho que gostaria de ler esse livro.
    Quando tiver um tempinho e money, vou procurar por ele ^^
    Ótima resenha!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mone, acho meio impossível não pensar a moda em seu aspecto social/sociológico. É um assunto que me interessa muito também. E tendências é sempre um tema tão complicado de tratar/pensar... esse livro abre algumas possibilidades de entender um pouco mais sobre!

      Excluir
  4. Duas coisas que amo: sociologia e moda <3
    Adoraria ser uma historiadora de moda, será que encontro campo de pesquisa assim no Brasil? Seria incrível!
    Tenho o Dicionário Ilustrado e adoro a leitura, mas não conhecia as outras publicações da editora.

    Beijos <3
    Tribo Alternativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina! Também tenho essa curiosidade sobre campo de pesquisa, que parece ser bem carente aqui no Br. O caminho mais habitual é ir pra área acadêmica mesmo, dar aulas. Esse livro tem uma grande vantagem que é a leitura simples e direta mesmo pra quem não tem afinidade com sociologia :)

      Excluir
  5. Gostei imenso do post! Achei o teu blog muito interessante e original! Parabéns! Tens imenso talento! :)

    http://10metrosdouniverso.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. adorei a resenha :)
    já estou te seguindo
    eu também tenho um blog se quiser conhecer ficarei muito feliz, bjs
    lanibelezafeminina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥