terça-feira, 10 de setembro de 2013

Existe diferença entre a Moda Georgiana e a Moda Rococó?

A Sileide, uma das mais ativas participantes do grupo Picnic Vitoriano SP, me perguntou um dia: "Os trajes Barroco, Rococó e Georgiano são bem parecidos. Como se diferencia o de uma época da outra?"
Acredito que a dúvida surgiu porque alguns os revivalistas ocasionalmente falam em "traje da Era Georgiana".



1. Por que algumas pessoas dizem "traje da Era Georgiana" e outras dizem "traje da Era Rococó" pra se referir às vestimentas do século XVIII?
Na verdade a resposta é muito simples. Generalizando, se você é inglês ou mora na Inglaterra, chamará a moda do século XVIII e do começo do século XIX de Georgiana. Se você mora na França ou no Brasil, dividirá as modas desta época em períodos distintos. 


Contexto Histórico
Durante a maior parte do século XVIII, a França foi governada pela dinastia Bourbon. No governo de Louis XIV, o poder da França se espalhou pela Europa. O reinado de Louis XV abrangeu parte do que chamamos de Era Barroca. No fim do século XVIII, durante o reinado de Louis XVI, vimos uma arte genuinamente francesa surgir: o Rococó. Depois, a França passa pela Primeira República (1792 - 1804), época da moda Diretório e a seguir vem a moda Império, época de Napoleão Bonaparte (1804-1814).

Já na Inglaterra, de 1714 to 1830, o país foi governado por quatro reis George:  George I, George II, George III and George IV. Daí o nome "Era Georgiana".
Não houve uma nomenclatura de "moda barroca" na Inglaterra porque o Barroco é o movimento da contra-reforma. Como o Henrique VIII quebrou laços com a igreja católica, não houve reforma e muito menos contra-reforma na Inglaterra. O Barroco continental influenciou a Inglaterra, mas muito de leve.* O mesmo com a nomenclatura "Rococó": uma arte que nasceu na França e nunca teve um ponto de apoio no solo britânico.
Então, a Inglaterra governada por quatro reis George durante a maior parte do século XVIII e começo do século XIX, é conhecida como "Era Georgiana". E no começo do século XIX, houve um período chamado de Regência, quando George IV governou no lugar de seu pai, George III que estava doente.


2. Existe diferença entre as modas georgiana e rococó?
Poucas, como foi dito acima, os dois países usavam a mesma silhueta. As diferenças ficavam mais nos tecidos que buscavam favorecer a indústria têxtil de cada um dos países e nos adornos. 

Enquanto na França reinavam as sedas luxuosas, a frivolidade, a ostentação através da decoração de superfícies, perucas empoadas e penteados elaborados; na Inglaterra, o espírito geral da época era de comodidade e displicência. Os trajes ingleses tinham um toque puritano, esportivo, um gosto pelo campo. Vestidos justos, fichus, cabelos não empoados, chapéu de palha, vestidos sem estampa ou estampados leves em algodão eram preferência inglesa. Foram os ingleses que inseriram o panier (originado na Alemanha) na França, mas o modo dos dois países usar a peça era diferente.

                            No Rococó, o traje francês era mais elaborado e ostentativo...



 o traje inglês era mais simples e de influência campestre, 
mas mantinha praticamente a mesma silhueta francesa.
 

Foi só de meados pro  fim do século XVIII, que uma série de ilustrações de homens e mulheres inglesas usando de roupa informal à roupa de teatro foram publicadas na França. Os franceses se entusiasmam com a simplicidade e conforto dos trajes ingleses e os adotam. Um dos exemplos já citados aqui no blog é o robe a l'anglaise, um vestido estilo inglês que ficou em voga na França, sendo comum que este vestido fosse feito também em cetins e sedas, e na Inglaterra costumava ser feito em algodão, leve e para uso cotidiano.

Mas a adoção definitiva dos estilos ingleses pelos franceses se deu após a Revolução Francesa, quando todos os trajes que lembrassem o luxo, excesso, riqueza e ostentação visual, tão características da nobreza na Era Rococó, se tornaram indesejáveis. Assim, as roupas se simplificaram e a França, que ditava moda, passou  a se inspirar na moda rural inglesa, na chamada “Volta à Natureza”.



3. Qual a nomenclatura usada por nós (brasileiros)?
No Brasil, os historiadores de moda seguem a cronologia da moda francesa. Então, por aqui nós dizemos "Moda da Era Barroca", "Moda da Era Rococó", "Moda da Era Diretório", "Moda da Era Império". Não é comum aqui que um professor chame toda a moda do século XVIII e começo do XIX de "Georgiana", esta é uma nomenclatura usada pelos ingleses mesmo.


Curiosidade: É habitual que fãs das obras da escritora inglesa Jane Austen falem muito em "moda da Era Georgiana" (especialmente se referindo à moda da época de George III), pois sendo um escritora inglesa, ela usava a nomenclatura de seu país em seus livros.






* frase de minha amiga Iluá, que mora na Inglaterra e me ajudou com essa parte do Barroco.

Consultas:
História do Vestuário no Ocidente, François Boucher
http://en.wikipedia.org/wiki/Georgian_era
http://www.theguardian.com/artanddesign/2011/sep/10/baroque-british-architecture
http://www.dummies.com/how-to/content/the-rococo-influence-in-british-art.html
http://www.cfa.ilstu.edu/lmlowel/the331/rococo/womenreview.htm

16 comentários:

  1. Ficou bem claro o texto Sana ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que bom! Fiquei com medo de estar confuso!! ^^

      Excluir
  2. Adoro seus blogs e seus posts! Estão sempre tão completos e perfeitos! Só gostaria que você falasse sobre a moda na Era Vitoriana (acho) das classes mais baixas como aparece no musical Oliver! (mais especificamente, nas personagens Nancy e Bet). Geralmente vocês só englobam as pessoas que tinham mais de um vestido... >_>...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ernie, é que em história da moda a referência é a elite, por isso poucas referências às classes inferiores. Existem textos muito breves e poucas referências de imagens sobre as camadas mais baixas. Os pintores e ilustradores tendiam a retratar a elite, tanto que em museus temos apenas roupas das classes mais altas em exposição porque por serem de um material muito melhor, resistiram ao tempo. Eu tenho um material sobre as classes mais baixas da Era Vitoriana, preciso traduzir. ;)
      SE desejar, recomendo que busque obras de arte do século XIX como as do Impressionismo, Realismo e Naturalismo. Ocasionalmente classes inferiores eram retratadas nas obras.

      Excluir
    2. Ah, então é mais por falta de fontes? Então o.k... Embora eu ache as roupas das outras classes bem mais bonitas. XD... Acho que eles tinham uma vida conformada e talvez até mais feliz. Embora eles fossem pegar a peste porque não tinham mais de um vestido... Eles eram sempre bonitos!

      Excluir
    3. Uma pena, realmente... porque eu acho as roupas dos pobres bem mais livres e bonitas!

      Excluir
    4. Até existem fontes, normalmente em livros específicos, mas eu não tenho estes livros, porém tenho outros que falam do assunto de forma bem breve, estes eu posso traduzir. =D
      No caso da era medieval temos bastante iconografia das classes mais baixas e existe um livro só sobre a moda das classes "inferiores" no século XVIII (eu não o tenho).
      Mas no século XIX já não tinha mais a peste, mas haviam outras doenças igualmente mortais. Mas posso dizer que a partir da revolução industrial, com o advento das máquinas de costura, a roupa dos pobres ficou cada vez mais parecida com a dos ricos. Exceto pelos camponeses que usavam roupas muito simples mesmo, as classes inferiores de áreas urbanizadas usavam peças relativamente semelhantes à da elite mas em tecidos mais baratos.
      Não sei te dizer se a vida deles era mais feliz, havia miséria no século XIX, até crianças precisavam trabalhar. Quanto ao conformismo, mudar de classe social não era algo habitual naqueles tempos, se você nascia numa classe social, praticamente tinha certeza que ia morrer nela, então pra alguns só restava mesmo se conformar com a situação.

      Excluir
    5. Pois, é... a vida deles era realmente dura. Eles não podiam ter mais que tinham, então acho que eram felizes mesmo assim. Qual era a outra opção que tinham? (Estou me inspirando realmente em It's a Fine Life... XD). Não estou realmente falando da classe média proletária, mas dos miseráveis, ladrões, prostitutas e contrabandistas, gente da pior espécie para a elite. Uma pena que todos esqueçam deles (acho que por causa das outras classes opressoras).

      Excluir
    6. Ao menos nos meios acadêmicos eles não foram esquecidos, há livros e artigos de historiadores e historiadores de moda sobre eles.
      Na questão da Moda contemporânea e dos designers, talvez eles sejam "esquecidos" porque a contribuição que eles deram pra mudanças significativas na história da moda foram poucas. Por isso talvez se fale tanto na moda da elite porque as mudanças na moda e estéticas que usamos até hoje, partiam desta classe social. Mas claro, isso não torna a estética das classes inferiores menos belas ou interessantes.

      Excluir
  3. Olá,
    Sou novata por aqui.
    Mas a tenho um grande interesse por roupas de época.
    Você sabe me informar, se os colares feitos de fitas e bicos bordados, usados nessa época tem um nome especifico?
    Grata pela atenção

    ResponderExcluir
  4. Sana eu queria te fazer uma pergunta.Qual a diferença das roupas na classes alta,média e na classe alta.

    ResponderExcluir
  5. Sana não teria como você falar sobre a moda das classes média e baixa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, não tenho muito material sobre eles, então não te dou certeza que vou postar algo sobre. :(

      Excluir
    2. Sana gostei do seu blog.Seu blog é muito bem explicado.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥