Destaques

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Moda Vitoriana e Belle Époque na Exposição "Impressionismo: Paris e a Modernidade"

*Originalmente postado em meu outro blog, o Moda de Subculturas no dia 23/08/2012

Consegui ir na exposição “Impressionismo: Paris e a Modernidade” que está no CCBB de São Paulo e logo seguirá pro RJ. Não queria ir lá somente para ver um tipo de arte que sou fã, mas também para estudar um pouco de história da moda, afinal uma das melhores formas de saber o que se vestia em determinada época é analisar obras de arte. A exposição pega a época do Early Victorian até a Belle Époque francesa.


Mas não esperem obras ricas em detalhes e com contornos definidos, o Impressionismo rompeu com as regras tradicionais da pintura (oba, rebeldia!) de retratar fielmente a realidade e temas nobres; o foco estava na luz e na cor. Abaixo separei umas obras interessantes na questão da Moda da época.

A primeira obra que se vê  na exposição é a de um de meus pintores preferidos: James Tissot! A obra "The Ball" (1885)  ilustra uma moça num lindo vestido amarelo chegando num evento social.

Na mesma sala, damos de cara com uma das obras mais famosas a retratar um dândi genuíno: a elegância aristocrata de Le comte Robert de Montesquiou (1897), obra de Giovanni Boldini.





Quando pensamos na Era Vitoriana, é comum nos lembrarmos dos trajes pretos de luto. E trajes negros não faltam na exposição! "Portrait of a woman - Mme Georges Hartmann" (1874) de Renoir; "The Wait" de Jean Beraud; "The Dubourg Family" (1878) de Fantin Latour; "Portrait of the Artist's Mother" (1871) de James Abbott McNeill Whistler, "Madame Darras" (1868) - de véu de tule - de Renoir  e "Les Bretonnes aux ombrelles" (1892) de Emile Bernard.
 
 

Lembram do post sobre moda infantil vitoriana? Nas obras abaixo temos exemplo de um bebê em trajes brancos e de um rapaz em roupa de marinheiro.

Adorei: Gustave Coubert fez seu auto retrato (1846) imitando a arte barroca. Já o auto-retrato de Leon Joseph Florentin Bonnat (1855) é um deleite para os olhos.



Cenas da vida: “O Banho” (1867) de Alfred Stevens mostra a mocinha tomando banho de chemise; o Moulin Rouge diverte as pessoas em “Scène de fête au Moulin Rouge” (1889) de Giovanni Boldini e na obra "The Quai Saint-Michel and Notre-Dame" (1901) de Maximilien Luce, dá pra ter uma noçãos dos trajes de várias classes sociais nas ruas de Paris.

E o que vestiam os mais humildes? “Camponesas Bretãs” (1894) de Paul Gauguin e "Peasant Girl Lighting a Fire" (1888) de Camille Pissarro, ilustram trajes camponeses do fim do século XIX.




Espero que tenham gostado das obras tanto quanto eu gostei.

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

NOTA AOS LEITORES
Olá, tudo bem?

Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html e alguns estão resenhados aqui no blog, procure a tag "livros".
Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, um período que eu não anotei as fontes. Não posso agora colocar uma fonte que não lembro exatamente qual foi, indicando algo errado. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e lhes garanto que há material disponível em publicações em português.
A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande. Além disso, isso é apenas um blog que visa o entretenimento e não é minha obrigação fornecer uma pesquisa pronta a outra pessoa. Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Atenciosamente, Sana

© .História da Moda. – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in